sexta-feira, 13 de maio de 2011

Casualty of Love

Aviso: Esse texto pode fazer todo ou nenhum sentido. Leia com moderação.

Sempre achei engraçada a maneira como as pessoas se referiam ao amor. Um sentimento incomparável, uma devoção inexplicação. 

Por ele, pessoas matam e morrem. Todos os dias. Existem até os crimes passionais.

Eu não sei definir o amor. Não consigo nem imaginar como é sentí-lo. Mas, ainda assim, como todos nós, tenho minhas verdades. Acredito fielmente que amor não se procura, se encontra. Daí, já começa o paradoxo, né? Como é possível que possamos encontrar algo que não procuramos?

Pois é, vai ver, o amor é impossível. Ignorando a questão científica da coisa, acredito que é conhecendo o maior número de pessoas que fica mais fácil de você encontrar o amor. Mas, conhecer pessoas não é apenas beijá-las, tem que ter algo de profundo. Não sei dizer se o amor é só sentimento. Acho que não, acho que o que as pessoas chama de paixão, o carnal, também é amor. Não que sejam amores diferentes, seriam, pois, partes únicas e incomensuráveis desse um só sentimento, o amor.

Meu modo de conhecer o maior número de pessoas é saindo. Para boates, festas e eventos gays. Não acredito que, dentro do modelo de vida atual (pelo menos o que tenho acesso hoje), seja possível conhecer alguém em uma padaria. Já ouvi estórias onde isso efetivamente aconteceu. Mas acho que, para mim, é algo um pouco inconcebível. Talvez a maturidade mude essa ideia. Ou apenas a solidifique.

Não sei se é possível que o amor surja de uma conversa interessante ou apenas de um beijo completamente encaixado. Acho que é preciso um pouco dos dois. O mais perto que eu cheguei de sentir o 'amor', unia ambos.

A experiência me mostra que o amor pode, efetivamente, mudar as pessoas. Mas eu mesmo não me sinto dentro desse padrão. Ouço, muitas vezes, frases como "você não entende porque nunca gostou de ninguém de verdade". O amor serve para criar uma desculpa para nossas idiotices? Entendo que, no contexto do 'amando', não soem como idiotices. Porém, no contexto do racional, do adulto, sim, soam e o são.

Não sei se quero sentir algo que me ponha em um estado de espírito tão distante da realidade assim. Alguns dizem ser maravilhoso, outros, dizem odiá-lo. Vai ver, quando eu gostar de alguém, faça um texto "Casualty of Love 2.0".

Ou, simplesmente, encontre minha própria definição de amor nesse vazio que chamamos de vida.

PS: Um presente (sim, um presente) para vocês é essa música, da Jessie J, que dá título ao post. É uma poesia (aos meus olhos) muito bonita sobre o amor. Talvez exprima algumas coisas que não consegui ser claro suficiente (ou não quis) no texto. Vale a pena dar uma olhada no álbum inteiro.


Casualty of Love

We may not have all the answers
Oh I know that we can change some of the things that are beyond our control
And the vision of us may be blurry
But use your heart to see
Just follow the beat, the rhythm will lead you right back to me
Sometimes its a game of give and take
Its easy to break but hold on and wait
Have a little faith

I will go down to the last round
I'll be your strength to find you when you get lost in the crowd
So I'll stand up tall, if by chance I fall
Then I'll go down as a casualty of love

Love love love - casualty - love
Love love love - casualty - love
Love love love love casualty
A casualty of love

The battle of us will be simple
Escape without being hurt
Cuz' love is our shield, keeps us concealed
From what could get even worse

So baby let me be your soldier
Don't be overtaken by pride
Just close your eyes, take my hand
Promise to keep us alive

Sometimes its a game of give and take
Its easy to break but hold on and wait
Have a little faith

I will go down to the last round
I'll be your strength to find you when you get lost in the crowd
So I'll stand up tall, if by chance I fall
Then I'll go down as a casualty of love

All is fair in love and war
Knock me down and I'll get back up wanting more
Through the fire and rain, it makes me numb from the pain
That's the price, that's the price, I'll pay

I will go down to the last round
I'll be your strength to find you when you get lost in the crowd
So I'll - I'll stand up tall and baby if I fall
Then I'll go down as a casualty of love
Love love love love (Repeat)

I'll be your casualty - casualty (Repeat)
Casualty of love
A casualty of love - a casualty of love - a casualty of love

13 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Posso adaptar sua frase pra minha experiência? Acredito fielmente que amor não se procura, ele nos encontra.

Beijos

inconstanteblog disse...

Quando você falou em "minhas verdades", tudo ali estava explicado. Cada um pode ter sua visão de amor. E todas estão certas (lembrando, claro, aquela históriazinha de que seu direito termina qdo começa o meu... senão vem neguinho com umas visões de amor que dominam o outro... e que são problemáticas quando o outro não quer ser dominado rs).

Mas, mais do que explicações, definições ou verdades, amor é sentimento.

Bobos, nós, humanos, tentamos criar regras e padrões e fórmulas para tudo. Que podem até funcionar para coisas como "como fazer um filme de sucesso" (e mesmo assim nem sempre funciona...).

Com sentimentos, que bom, não é assim.

Xêro!

Thiago disse...

Eu enxergo o amor como uma manifestação da natureza. E justamente por isso, ele não segue as nossas fórmulas, as nossas "artificialidades" humanas.

Lobo disse...

"você não entende porque nunca gostou de ninguém de verdade"

Como eu detesto essa frase. Joga no lixo a pluralidade de formas que existe de se experimentar o mesmo sentimento, e dá ao amor uma visão unidirecional.

Eu acredito que cada um tem a sua forma de sentir, ou até amar. E ninguém pode te dizer como é ou deixa de ser, porque é diferente para cada pessoa.

Antonio de Castro disse...

antes de mais nada, concordo com vc, esse cd merece ser ouvido. é pop e é bom.

quanto ao amor... pura balela. não existe, essa é a verdade.

o que existe é boa-vontade.

ok, não é um bom momento pra comentar sobre isso.

FOXX disse...

achei um raciocínio valido, de verdade! concordo com vc!

Candy disse...

Cara, a letra é muito legal. Eu gostei. E quanto ao amor, acho que já senti. Não creio que na vida haja apenas um amor. Acredito que podemos amar vários caras, de formas diferentes. Pra mim, paixão e amor são quase sinônimos. A única experiência na qual eu realmente senti que amava, me fez desistir de procurar amar novamente. Mas isso é uma fase. Um dia meu coração descongela e eu volto a sentir novamente. XD To bem assim, por enquanto.

teleny disse...

Para mim amar foi uma das maiores descobertas da vida. Por isso não posso dizer que ele não existe ou que seja impossível. Pode ser uma coisa rara. Algo em extinção. Mas ainda existe, sim.

Abraço!

Autor disse...

Clichê: quando vc encontra, tudo faz sentido.
Simples demais a meu ver.

E, acredite, é possível encontrá-lo em mais de uma pessoa, mas de formas bem diferentes.

E falo do amor-carnal, daquele que vc sente por outra pessoa e que é diferente do que vc sente por um amigo, um irmão.

Cara Comum disse...

Não quero filosofar sobre o amor agora... Mas gostei do que vc escreveu... Reforçado pelo comentáruio do Lobo, claro, que cada um tem uma experiência única com esse sentimento...

Abraços!!

H A R R Y G O A Z disse...

GREAT song !

Have a super weekend.

DPNN disse...

Palavras de um tiozinho que já foi incrédulo nas coisas do amor: um dia ele te pega, e vc está ferrado...kkk Cara, você é jovem, aproveite e curta este momento sem neura!

Raphael Martins disse...

Bom ter te conhecido, garoto. Espero que vc encontre um cara que te faça feliz. Abcs!!