sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Espelho

Eu sou o tipo de pessoa que fala - e escreve - muito. Pessoas assim costumam falar mais bobagens e se revelar mais, em geral, do que as pessoas que falam e escrevem menos. Não tem necessariamente menos instrução ou mais preconceitos ou defeitos, oferecem, apenas, mais oportunidades dos outros perceberem estes detalhes que, para os que escrevem menos, fica muito mais difícil perceber. 

Sendo ainda mais direto, não fiquei nada satisfeito com o comentário do Ricardo e de outras pessoas a respeito do meu último texto. Por muito motivos. O primeiro dele é, obviamente, o fato de que, eu sei reconhecer quando falo ou penso algo inadequado ou errado. E, neste caso, quando sou preconceituoso. Não tenho problemas em assumir que estou errado.

Eu estou errado. Aliás, o post passado passou uma imagem que, certamente, não condiz com o que eu sou e penso, de fato. Quem me conhece e lê e esse blog pode, e deve, inclusive, se manisfestar. Além disso, eu me incomodo com a imagem que eu passo no blog. A maior parte das pessoas que leem esse blog não me conhecem, então, no momento em que, segundo o Ricardo, eu passo a imagem de nazista, isso me incomoda. Não devo satisfação a ninguém, senão a mim mesmo. E é por esse motivo que estou escrevendo esse texto.

Por que sou um ser em eterna mudança, com capacidade crítica o suficiente pra saber quando eu tenho que me criticar e avaliar não só o que eu disse - ou escrevi - mais também meu modo de agir e, principalmente, de pensar.

Já reli o texto algumas vezes e ainda é difícil pra mim identificar um nazista em potencial. Provavelmente porque eu tenho dados empíricos suficientes pra julgar que eu não sou nem de longe algo parecido com o Mike citado no belíssimo, porém radical, texto que o Ricardo postou. Faço bem mais o tipo Arthur, daqueles que vê uma travesti passando e elogia, sim. Daqueles senta na mesa de um bar só com travesti e conversa em plena praça pública, falando desde amenidades à política. Daqueles que não escolhe com quem vai conversar, sendo gay, afeminado, hetero ou mãe.

Entretanto, como reconheci no próprio texto, fui, sim preconceituoso. Preconceituoso exatamente porque não faço parte do público 'bicha xoxota' que, embora seja um termo extremamente escroto, define bem o que eu estou querendo dizer. Mas jamais alguém me veria fazendo brincadeiras homofóbicas pra travesti ou pra bicha afeminada ou pra barbie, que seja. A percepção não foi só minha, leiam, não que justifique, pelo contrário, é só uma constatação. Me pergunto se eu tivesse ido na TW Rio e dito que só havia barbies se haveria tamanha manifestação.

Eu comento, sim, o que eu penso. E eu não entendo porque um homem - gay ou hetero - quer passar sombra no olho. Não entendo, mas eu não tenho que entender nada mesmo,  só tenho que aceitar. E eu aceito. As pessoas tem o direito de vestir e usar o que quiserem, assim como eu tenho direito de gostar ou não. O que eu não tenho direito, e não o faço, é de ridicularizar ou, de algum modo, constranger essas pessoas. É como se uma mulher fosse de shortinho para um casamento, ou um cara de bermuda. Acho inadequado. E todos comentariam.

O preconceito se constitui em criticar alguém por ser gay. Eu não critiquei ninguém por ser gay, mas pelo modo como se vestia. Eu não levantei do lado de nenhuma "bicha xoxota" que sentou ao meu lado. Eu não deixei de conversar com nenhum deles.

No metrô, enquanto eu ia para Copacabana e pessoas ao meu lado começaram a falar desses "viados e bichas barulhentos e mal educados" - de fato, existiam alguns gays fazendo baderna desnecessária, como aquela que as torcidas de futebol fazem - eu virei e falei que ser gay não tem nada a ver com isso. Que se elas tivesse apenas alguns dias do ano, os dias de parada gay, para se expressar sem apanhar (o que já vimos, não é verdade), elas talvez seriam tão 'espalhafatosas' quanto.

Sobre gay (ou qualquer pessoa dando em cima de qualquer outra COMPROMETIDA, que, claramente, não está correspondendo as expectativas) que dá em cima de hetero com família eu acho, sim, um absurdo. O Foxx disse que mulher hetero faz, então porque gay não pode fazer. Não pode fazer porque é desrespeito. E não pode porque não vivemos em um mundo gay friendly, porque se você der em cima de um hetero você pode apanhar muito ou até morrer. Se mulher hetero faz, foda-se, isso não dá o direito de um gay fazer.

O que eu percebo é que pessoas militantes tendem a colocar os gays - especialmente os excluídos do próprio universo gay, 'as pintosas' e travestis - num pedestal, como se fossem pessoas que não podem ser criticadas. Podem sim, ser criticadas. Por gays, por heteros. O fato de ser gay não isenta a pessoa de ter defeitos que devem ser criticados quando conveniente.

Se alguém está lutando pela igualdade de direito, tem de reconhecer que gays não são perfeitos por serem gays. Mas não podem ser criticados por serem gays. Eles tem tanto direito de se expressar - sem ofender alguém e o modo de se vestir não é uma ofensa, ou eu poderia fazer um escândalo no carnaval com tanta mulher pelada, praticamente - quanto os heteros.

Uma vez vi um tweet da Nany People falando que era do tempo que 'beesha era sinônimo de ser inteligente", me diz uma coisa, porque gay tem que ser inteligente? Ninguém exige de HT inteligência, mas de gay exige? Não faz sentido. Alguém pode falar que todo mundo tem que ser inteligente e tal, mas olha, como nós queremos ser reconhecidos como iguais aos heteros, com mesmo direitos e etc, se não nos tratamos igual? Se não queremos ter os mesmo direitos e deveres?

Quero, enfim, agradecer ao Ricardo e a todos os outros por terem me dado a oportunidade de pensar e refletir sobre minhas ações. Sou uma pessoa crítica não só em relação aos outros, mas também a mim. Errei, fui preconceituoso, mas acho que por um post - isso porque a maior parte daqui nem me conhece pessoalmente, não sabe absolutamente nada de mim -  não se pode simplesmente tachar alguém de fútil ou nazista.

O extremistas radicais são sempre nocivos à qualquer tipo de discussão. E eu estarei sempre aberto ao diálogo.
Ao contrário do que vocês podem pensar, eu olho no espelho e vejo um cara que já passou por muita coisa, mas que sempre continuará lutando não só pelos meus direitos enquanto cidadão, mas também pelos direitos do meu próximo, gay, hetero ou bi.

Obrigado.

PS: Meu teclado ainda está ruim, impossível comentar no blog de vocês, mas continuo lendo. Sempre.

23 comentários:

Anônimo disse...

Não achei que vc tenha sido preconceituoso. Ninguém é obrigado a gostar de bicha pintosa! Ser feminino é uma coisa. É algo que não se pode mudar. Mas ser pintoso é uma atitude, é uma escolha, e que infelizmente só serve pra aumentar o preconceito contra os gays. Vc não se mostrou contrários àqueles que são afeminados. E sejamos sinceros: alguém gostaria de ter como companhia um hétero que se comportasse como o Sérgio Malandro ou Tiririca 24 horas por dia? Não né. Então pq nós temos de bater palmas pra gays que teima em ser Carmem Miranda ad eternum? Outra coisa, o Ricardo fez uma auê defendendo a liberdade e tal, mas se mostrou extremamente radical MANDANDO vc não aparecer mais no blog dele. Ele foi contraditório! Como alguém que se diz contra o preconceito se comporta daquela forma? A doutrina dele foi bem simples: quem não está do lado dele é um inimigo e ponto final. Agora por último darling: reavalie essa sua galinhagem, pq afinal de contas, qual o problema em casar hein?!

Le Voyeur disse...

vc deve saber disso melhor q eu, mas vc pode escrever o melhor e mais bonito dos post do mundo EVER q msm assim nunca agradará a gregos e troianos! e sempre havera alguem q lerá suas palavras e interpretará de maneira diferente daquela que era o seu objetivo!
portanto, nao fique chateado ou bravo ou o que quer que seja com alguem que veja suas palavras de outro modo. mas NEVER deixe de escrevê-las!
e só pelo fato de dizer q vc tb é um crítico de vc msm já ganhou +10 pontos na minha listinha rosa chiclete! kkkkk

bjs do voy

SG disse...

Continue escrevendo do jeito que você sempre faz: fiel às suas convicções.

Palavras são poderosas, não?

Um abraço!

FOXX disse...

então vamos por partes já que eu fui um dos q te critiquei e eu tb te conheço um pouquinho e sei que vc não é a imagem que passou...

mas...
1)
"E eu aceito. As pessoas tem o direito de vestir e usar o que quiserem, assim como eu tenho direito de gostar ou não. (...) Acho inadequado."
ou vc aceita, ou vc acha inadequado, ok? mas o principal é o que vc acha inadequado? um homem usando "atributos femininos" como maquiagem ou roupas mais femininas? pq isso é inadequado? qm disse que homem não pode usar sombra em qualquer horário do dia? qm disse? a mesma sociedade sexista que impõe q mulheres ganhem salários inferiores? q gays sejam alvejados por militares armados?

2)
"Eu não critiquei ninguém por ser gay, mas pelo modo como se vestia."
não, vc criticou gays que não se vestiam de acordo com a norma heteronormativa, isto é, de acordo com o que a sociedade considera "normal", e bem sabemos que o que a sociedade considera normal/aceitável definitivamente não quer dizer q seja o correto.

3)
"Se mulher hetero faz, foda-se, isso não dá o direito de um gay fazer."
dá sim, os direitos são iguais! vc está utilizando o mesmo argumento do pai de um dos meninos que atacaram os rapazes em são paulo. "meu filho é mto bonito, eles deram em cima dele, ai ele atacou os viadinhos", ora, se uma mulher desse em cima dele, ele reagiria da mesma forma? sua crítica na verdade só quer dizer q vc acha que a sexualidade homossexual deve ser sempre velada, escondida, q não pode ser mostrada assim...

4) "Podem sim, ser criticadas. Por gays, por heteros. O fato de ser gay não isenta a pessoa de ter defeitos que devem ser criticados quando conveniente."
os efeminados e travestis não estão em pedestais, contudo, eles não podem ser criticados utilizando esses valores sexistas, machistas e sim homofóbicos que vc utilizou. eles (e nós) não pertencem a essa sociedade de normas héteros, então estas normas héteros que vc exige não cabe a eles.

5) "porque gay tem que ser inteligente?" sério q vc perguntou isso? bicha burra morre, Gui, morre de fome, inclusive. Quem é que dá trabalho pra bicha? se vc é assumido, se é efeminado, se é travesti-transexual? qnta gente perde o emprego qndo descobrem q ele é gay? se ele não for inteligente, indispensável por isso para a empresa, morre de fome! e sim, eu já levei não em entrevista por ser gay.

espero q eu tenha ajudado a continuar a discussão...

=D

Anônimo disse...

"Os extremistas radicais são sempre nocivos à qualquer tipo de discussão. "
Concordo plenamente. Odeio pessoas agressivas. Principalmente militantes que lutam por uma causa. Como ganhar respeito impondo respeito? Ninguém escuta bebês chorões, esse povo precisa aprender a saber conversar com educação. Quando encontram alguém q pensa diferente já vem com 7 pedras na mão. Se fosse uma manifestação homfóbica seria justo, mas não foi. Criou-se uma discussão calorosa e com uma agressividade desnecessária.

Não achei seu texto preconceituoso, é só a sua opinião. Não penso igual, acho normal pq ninguém escolheu ser afeminado, já nasceu assim, mas tambem não te atiro pedras.

Diego disse...

Bom, eu faço as palavras do Foxx minhas palavras. E reitero: achei seu texto anterior preconceituoso. Isso não quer dizer que me pareça que tenha sido um gesto deliberado, consciente. O que também não impede de você refletir sobre esse preconceito que está aí e se manifestou no texto. Muitas vezes, a gente internaliza a norma dominante e nem se dá conta. Será que não é o caso de refletir, em vez de se precipitar em um diagnóstico "sou/não sou"?

DPNN disse...

Infelizmente, muitos gays acham que a homossexualidade traz alguns superpoderes, que você se torna imune a tudo o que os simples mortias possuem. E sim, grande parte dos gays se acha superior aos héteros! Gay também tem preconceito, gay também erra, também é burro, pelo simples fato de ser humano. Me recuso a ter de morrer de amores por pessoas insuportáveis só porque são gays. E existe uma hipocrisia muito grande no mundo gay, muita rivalidade, grupos que não se suportam entre si. Quem frequenta o mundinho sabe que essa história de que todos os gays se amam não é verdade.

Uma das piores coisas que podem acontecer conosco é a autocensura, ficar se policiando, pensando se o que vai escrever vai desagradar alguém, escrever o que for conveniente. Eu não faço isso, escrevo o que penso e pronto. Se desagrada, paciência, que aprendam a conviver com isso. Continue escrevendo o que seu coração e sua consciência mandam, ok?

Gui disse...

@Foxx e Diego: então também vamos por partes.

1) Em que momento eu disse que não podia? Aceito embora ache inadequado. As pessoas tem o direito de se vestir como quiserem e eu tenho o direito de não gostar. O preconceito se configura qdo eu não gosto da forma de vestir por ser gay. Qdo na verdade, é por ser homem. É anterior a isso. Está havendo uma confusão de conceitos.

2) Não quer dizer que seja correto, mas não quer que eu não concorde com esse ponto.

3) Isso é um desrespeito. Independente de quem faz. O que é um problema ainda maior em uma sociedade homofóbica como a nossa.

4) Eu não exijo nada de ninguém além de ética e caráter. Pra HTs ou gays. Que parte do "embora vc ase vista e aja de uma forma que eu não não ache legal pra mim, nós ter uma relação amigável prazerosa"?

Borboletas nos Olhos disse...

Eu tenho preconceitos. Por exemplo, não entendo porque alguém vai escalar uma montanha perigosíssima e deixa mulher e filho pequeno, morre e ainda é chamado de corajoso e talz. Burro. Burro. Burro. Pronto, falei. Agora marido e mulher podem ser apedrejados juntos...não é romântico?

Gui, você é um fofo. Ser humano é justamente o que você faz melhor: se mostra, se expõe, se diz. Você é admirável, mesmo que todas as suas idéias não sejam.

Beijos carinhosos da sua esposinha forno e tanque (kkkkkkkkkkkk)

PS. Não tá esquecendo o guest post né?

David ®... disse...

gente...isso q é fogo amigo!

qdo for ao rio quero te conhecer e tirar minhas conclusões in loco

Ricardo Aguieiras disse...

Por favor,
diz pro "anonimo" primeiro aí em cima se identificar, como eu faço, com nome completo... anonimato é sinônimo de covardia podre, como sempre. Duvido que ele - já que te defende - tenha a coragem de vir debater comigo cara-a-cara, olho no olho, topa?
No meu blog não há moderação nem censura alguma, todos comentários são publicados, portanto, não posso mandar nada, posso apenas questionar...

Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br
http://dividindoatubaina.wordpress.com/

Visão disse...

Todas as pessoas tem o direito de serem quem desejam ser. Fato!
Você tem todo o direito de não gostar, como eu também não gosto, mas eu respeito. Tento entender.
E quer saber? Supondo que sim, vc não precisa se justificar.
Fica bem!

Júlio César Vanelis disse...

Olha Gui... Eu acho, realmente que você tenha sido mal interpretado...
Mas realmente, não concordo com tudo que você postou no seu ultimo post: por exemplo, eu acho que a qualquer pessoa pode usar a roupa que quiser, você está no seu direito de não gostar do look da pessoa, mas não pode julgar as atitudes da pessoa pela roupa, isso foi preconceiruoso da sua parte. Mas, olha só, isso não é uma crítica destrutiva, preconceito por preconceito, o Ricardo foi mais preconceiruoso que você. O preconceito é uma reação natural de qualquer pessoa e nimguém pode ser chamado de Nazista por causa disso. Pode ter certeza, se a pessoa diz que é livre de preconceitos, ela está mentindo descaradamente. O que você fez foi inteligente, reconheceu o preconceito e está tentando se livrar dele... O que eu não achei inteligente, na verdade eu achei até bem intolerante, foi o preconceito do Ricardo, não só contra os hetero, mas contra a sua visão. Ele simplesmente acredita que qualquer pessoa que fale mal ou se sinta incomodado com as atitudes que você viu na Parada seja Nazista. Isso pra mim é preconceito também, e o pior é que ele mesmo não reconhece isso. Uma pessoa que pensa assim, certamente pensa que todo hetero é homofóbico. Agir com preconceito contra hetero não resolve o preconceito que nós sofremos. Quem planta preconceito, colhe mais preconceito. Como você bem disse, qualquer visão extremista é perigosa, e a desse rapaz que criricou o seu post foi muito...
Nem sei mais o que dizer, to orgulhoso de você amigo... Seu bom-senso é admirável!!!

Um abração, Saudades, e até o próximo post

Ricardo Aguieiras disse...

Júlio, não sou eu que defini perante a História humana o que é o nazismo. E houveram vários outros comentários concordando comigo, falando até que assinam embaixo.
Uma pessoa que vai a parada somente para se divertir, que não percebe - ou nega - o cunho político da parada; que se preocupa com a roupa que o outro está usando, se é ou não afeminado, se usa ou não sombra, isso num país que mais mata gays no mundo, comprovadamente, é o que?
Pior é que tenta se defender, mas só confirma o preconceito. Teria é que ir para as paradas lutar, mostrar solidariedade e empatia com TODAS as pessoas perseguidas, pouco importando se são afeminadas ou não. Não se combate um preconceito alimentando outro.
Ninguém tem obrigação de ser "tolerante" com preconceitos e com bobagens imaturas. Aliás, até prefiro que seja imaturidade do que outra coisa.
Você me critica, mas se não fosse eu essa discussão nem teria começado, as pessoas têm medo de falarem o que sentem e vivem pondo panos quentes, em nome do "bom senso". O verdadeiro bom senso é combater o machismo, a misoginia, os preconceitos todos, o racismo, o patriarcalismo, esse é o verdadeiro bom senso. E isso, eu faço desde 1977, no Grupo Somos, que foi o primeiro grupo de Luta Homossexual que surgiu. Hoje eu luto em defesa dos idosos gays, com grande sucesso, até, por que todos os grandes jornais e até o Fantástico já me entrevistou. A pouca liberdade que você, hoje, e outros homossexuais gozam se deve à luta e coragem de pioneiros como eu, também. Pelo menos eu dou a cara à tapa. E você também entendeu tudo errado, nunca tive preconceito contra heterossexuais, tem muitos que são maravilhosos, assim como tem gays maravilhosos ou não, a orientação sexual, como pode ver, não livra a pessoa de preconceitos. Você, com toda a certeza, não leu meu blog, não leu a matéria sobre gays nazistas escrita em 2006 não por mim, mas pelo mestre e psicanalista Júlio Nascimento, famoso em toda a mídia. Quer debater, contestar, tudo bem, debata! Mas com conhecimento e argumentos.
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br
http://dividindoatubaina.wordpress.com/

Antonio de Castro disse...

todo mundo já fez muita polêmica aqui sobre o assunto.

eu tava no metro, indo pro cinema enquanto um monte de gente estava indo pra parada. sinceramente, tb não gostei muito do que vi. e não é porque tinha um monte de caras efeminados. não se safava nem os efeminados nem os "discretos", porque discreto não tem nada a ver com piercing na sobrancelha.

vc devia ter dito ao invés de bicha xoxota alguma coisa como "pessoas que ouvem som alto no metrô", "leitores de Meia-hora"...

eu te entendo. militante às vezes cansa com tanta paranóia. tudo é preconceito e tudo é válido? pq?

Lobo disse...

Bom, o que dizer?

Eu sei que você fala muito. Muito mesmo :p. E nem sempre pensa no que fala, o que é bom até certo ponto. Mas gera esse tipo de desentendimento as vezes... falar o que vem a cabeça assim, na lata, tem suas consequências.

Sobre o que o Fox falou no item 3, só o que eu acho é que nem mulheres hetero deveriam fazer isso, é uma coisa chata pra caramba... acho que a questão não é que "se a mulher pode, porque o gay não pode?". Eu vejo como "os gays não deveriam, assim como as mulheres hetero não deveriam dar em cima de pessoas comprometidas."

Um beijo Gui.

Gato Van de Kamp disse...

Então...

Fui obrigado a ler os dois textos, o comentário do Ricardo, alguns comentários de outras pessoas a resposta dele aqui.. Enfim... Um verdadeiro simpósio!!!

Em linhas gerais eu posso dizer que até concordo com as colocações do Ricardo, mas acho que ele pecou um pouco pelo excesso... Como ele mesmo diz ng tem obrigação de ser “tolerante” com preconceitos.. Concordo e amplio, ng tem obrigação de ter tolerância com absolutamente nada, mas a tolerância que eu espero ver no outro começo tendo eu mesmo....

Você não me passou uma coisa ruim... Só acho que no post anterior seu bom humor ultrapassou o seu bom senso.. Errar faz parte e o Ricardo que está na luta desde 1977 deve saber disso melhor do que nós dois. O importante é saber ser humilde como vc foi, saber reconhecer como vc reconheceu.

Aqui nesse texto vc se disse incapaz de fazer uma piada sobre homossexuais mais afeminados (ou disse algo parecido), mas a verdade é que vc fez... Brincando, mas fez.. E é na brincadeira que o preconceito se prolifera, é quando vc baixa a guarda, coloca aquela discussão toda em stand by, é nessa hora que a gente percebe que na verdade ela ainda n está internalizada.. Ainda é artificial.. Mas com o tempo e boa vontade (q vc demonstra ter) isso muda...

Qto a colocar figuras extremamente afeminadas ou travestis num pedestal... Acredito que é necessário sim cair em defesa qdo a critica é feita em cima de qq caracteristica deles que clarifique suas homossexualidades (tipo calca apertada, ou sombra)... Não incluiremos nisso “dar em cima de homens comprometidos”.

Querido.. Vc já foi suficiente humilde, não rende mais isso não... Nego te trata como se vc fosse o Judas traidor do movimento colocando vc em cima de uma cruz.. Me parece no mínimo crontaditorio... O radicalismo de quem agride quem pensa diferente é igual do que quem bate com a lâmpada na cara do outro.. No fim de tudo são duas pontas de uma ferradura....

Como diria o gênio Caetano

“Berro pelo seu berro, pelo seu erro”

Paulo Braccini disse...

Eu resumo aqui o q eu penso ... cada deveria cuidar de sua vida e deixar a do outro em paz. Cada um faz de sua vida o q bem entender. Usa o q quer, comporta como quer, etc. A única coisa q lhe é cobrada é o respeito ao outro. Só isto. Portanto cada um seja e viva como lhe convém e q os outros se fodam. Claro q o outro tem o direito de não gostar, de não aceitar para sim e outras coisas mais. Mas isto é algo q deve ficar com ele. Não gosto e pronto. Mas ele tem q respeitar o outro no q ele é. Só isto. Como exemplo para terminar: não gosto de gay "tresloucado", assim como não gosto de hétero tirado a machão... só não gosto e pronto ... ele tem q deixar de sê-lo porque eu não gosto? não ele será o q é e eu vou ficar na minha ...

;-)

loveandglamour disse...

O meu teclado também estava assim... Só foi dar umas batidinhas que ele voltou ao normal! Mais acho q foi sorte mesmo! beijoes

Lobo disse...

"Eu penso que as pessoas conseguem se gostar de verdade, apenas e somente, quando seus defeitos se encaixam. Tanto que é bem comum vermos um casal no qual um tem TOC por arrumação e outro deixa a porra toda pro alto. Um é muito cuidadoso com a aparência e o outro é meio desleixado."

Quer dizer que esse tempo todo eu tinha que estar caçando em clínicas psiquiátricas e não sabia? Hahaha

Beijo Gui!

wonderfulcauseiam disse...

Do not feed the trolls - essa é minha dica. Não ligue para as coisas que os outros falam - você é livre pra dizer o que pensa, é livre pra errar, pra acertar, pra quebrar a cara e aprender com as suas frustrações.
Seu blog é maravilhoso. (Não faça o mesmo que eu, que acabei cometendo bloguicídio por causa de opiniões alheias.)

chico Malta disse...

Oi, gostei da aparência do seu blog, muito bem feito. Quando percebi a polêmica, li os dois último posts e também todos os comentários.
Tendo a concordar com o ricardo e não acho que ele seja um "troll', como fala o moço acima. Nem acho que ele "pecou pelo excesso", apenas se posicionou firmemente. Se você, do Ás de Espadas, quer ser compreendido, também tem que compreender , vai saber qual a história de vida dele e o quanto ele foi discriminado. O que eu sei dele é que é um grande militante, que desenvolve trabalhos defendendo os gays idosos, ele é famoso em sampa, até o reverendo carioca Márcio Retamero já escreveu sobre ele. Acredito que você é mais jovem, mas é dedicado, pelo que vi aqui e está aprendendo, escreve bem e seu blog é um sucesso, com tanto comentário, qualquer outro que a gente entra tem link para cá, continua assim, foi um prazer. e lembre-se, polêmica é muito importante, é onde as pessoas crescem, se for só para se divertir, tá cheio de blog por aí... o seu difere, tem qualidade.

Gui disse...

@Wonder e Chico: Concordo com o Chico de que o Ricardo não é um troll (foi, aliás). Mas acho que ele exagerou um pouco, exatamente por ter uma idéia da história de vida dele eu o compreendo e o admiro muito pela sua dedicação.

Entretanto, discordamos de alguns pontos sobre a minha pessoa, e acabamos ficando em um impasse, nada a mais. Discussão não é apenas desejável, como necessária.

Se eu não quisesse que alguém concordasse ou discordasse nem haveria espaço para os comentários, néam?

Esse espaço está em constante mudança assim como eu, obrigado pelos elogios, mas ainda tenho muito que aprender com outros gigantes da blogosfera.

Abração aos dois e obrigado pela visita :).