terça-feira, 23 de novembro de 2010

Don't Let Me Get Me

[Detalhe que escrevi o texto inteiro e o blogger comeu, sem salvar rascunho. Borboleta, querida, publicarei o selo em breve, ok?]

Eu tava vendo os arquivos do blog esses dias e  percebi que só fiz 6 postagens em novembro. Minha meta era ficar em torno de 20. Claro que, em parte, isso se deve ao fato do meu colega de quarto pouco se importar em conversar no msn, escrever email e etc com o teclado virtual, mas que é impossível pra mim, ainda mais com o blog. Mas o blog é apenas a exposição do que eu sinto e penso. Ironicamente, eu tenho sentido e pensado tantas coisas, mas não consigo simplesmente escrever sobre elas.

Essa semana vou deixar de lado um pouco a polêmica (que embora seja ótima e eu adore, cansa) e falar um pouco de mim (como se eu não fosse polêmico). Ultimamente tem algo que está difícil de compartilhar até com meus amigos.

Minha vida anda desandando. Entendem? Pela primeira vez na vida eu não passei direto na faculdade (não só na faculdade, eu nunca fiquei em matéria nenhuma) em uma máteria, a prova é amanhã e nem estou mais desesperado. Estou conformado. O que é um problema já que eu possuo, efetivamente, chances concretas de passar. Mas eu não sinto ânimo pelo estudo. A faculdade, em si, tem sido um grande fardo pra mim. Não é só questão do fim de período e de professores sem noção (esse período bateu o recorde) é a própria faculdade me fazendo repensar todos os dias porque eu não sou atleta.

Minha bolsa não dá nem sinal de vida (já disse que odeio os funcionários do setor administrativo?) e talvez só caia ano que vem. Minha mãe continua pertubando me perguntando eventualmente quando irei arranjar uma namorada e eu já desisti de falar que "is just not going to happen". Meu irmão, com idade mental de 7 anos e idade física de 23, ainda pensa que minha mãe gosta mais dele e fica fazendo musiquinhas com meu nome (oi?).

Vejam bem, eu não estou reclamando como aqui, estou só me perguntando porque, apesar de tudo, eu não consigo sentir a motivação pra continuar. Eu olho pra trás e, mesmo sabendo tudo que já conquistei, não consigo sentir aquele impulso de "se eu já consegui superar isso tudo, conseguirei superar o que tá me acontecendo agora".

É o gosto amargo e azedo do fracasso. Como se eu estivesse sendo incompetente em tudo na minha vida. Com minha família, com minha faculdade que não dou mais conta, na vida amorosa eu nem quero pensar, porque né, não quero gente soluçando na frente do PC.

É o mesmo gosto de quando todo dia na escola me chamavam de viadinho, de quando meu casaco sumiu e eu o encontrei todo rasgado no refeitório, de quando minha mãe negou comprar uma revista quinzenal de 3,90 que era tudo que eu queria, mas comprava seu maço de cigarro todo dia. É quando eu mostrava os roxos no meu corpo pro meu pai, pintados pelos punhos do meu irmão, e ficava igualmente de castigo. É como quando vi meu pai numa cama e sabia que dali em diante nada mais eu podia fazer.

É uma sensação de impotência com a própria vida.

Eu já consegui muita coisa nessa vida. Consegui passar no concurso pra todas as escolas técnicas do Rio, saindo de uma escola municipal; consegui me formar na Fiocruz, defendendo minha monografia com 100% de aproveitamento, sendo que eu fazia estágio e alemão na UFRJ naquela época; passei em todas as faculdades públicas do Rio que eu prestei e consegui 100% de bolsa na PUC pelo ENEM, mesmo não tendo feito pré-vestibular; consegui não ser odiado na faculdade como eu era no ensino médio; tomei coragem e saí do armário pra um bocado de gente...

Mas ainda é como se eu não fosse capaz de lidar com a pressão, principalmente na faculdade, de conseguir passar em tudo, de conseguir passar bem nas matérias, de, de fato, aprender alguma coisa. É como se eu sempre tivesse sendo arrastado pra um poço em que nas paredes sempre está escrito 'fracasso'. Eu só quero encontrar motivos pra não desistir de tudo.

Eu sou o meu pior inimigo. E isso dói. Dói muito.

O que mais dói é que eu não consigo responder a uma pergunta. Porque sempre que o fracasso bate a minha porta eu não consigo, simplismente, girar o trinco e deixá-lo trancado, lá fora, pra sempre?

23 comentários:

hellomotta disse...

Nós somos sempre o nosso pior inimigo. Auto-sabotagem é a coisa mais cruel que uma pessoa pode fazer. É como começar uma luta já em W.O.

Eu comecei o post rindo com "vida anda desandando", mas terminei com um nó na garganta.
Eu vivo me achando fracassada em tudo que faço. Mesmo tendo várias vitórias, como você, tem horas que a gente só consegue ver o lado ruim.
Mas acredite, ninguém é melhor que você. Você não deve e não pode se deixar abater!

Voce é O cara. E não tem como ser fracassado. Nada terminou ainda, tá apenas começando.
E é duro assim, pra ser mais doce no final.
beijo.

BSvox disse...

Gui,

Sei que é dificil, mas se desesperar piorará o cenário. O fracasso sempre é um episódio. Faz parte da vida de todos nós. Não o internalize ou acredite que ele é parte de você. (vc citou mil vitórias)

Se vc estiver prox ao 3º-4º semestre, esse desanimo todo é normal. Acontece com todos!

Namorei um rapaz do Fundão, e odeio com todas as forças a forma com as Federais do RJ tratam seus bolsistas. Tratam um Direito Constitucional como concessão. Atrasar a bolsa é a regra. FDPs.

Qto a prova, acalme-se, acolha-se pq o resultado será melhor do que vc se desesperar. Tenho histórias de terror da minha época de escola e das provas na faculdade.

Era e sou burrissimo em Frances. Para me formar precisava da certificação da Universidade. Entrei na sala, fiz um momento de meditação e pedia ajuda a Deus com toda minha força. Tirei 4,8 e me passaram, o minimo era 5. Quem sabe Ele não ajuda?

Sorte e que tudo melhore

Le Voyeur disse...

sei muuto bem como é estar assim. e como sei...
fiz uma faculdade q nao me da o retorno pretendido, tenho uma familia que so sabe cobrar e reclamar de tudo que faço, tenho um trab q nao me motiva e ainda estou perdendo os amigos...
enfim, sinto a cada dia q minha vontade de viver está diminuindo e diminuindo. tb me sinto um fracasso em forma de ser humano.
e as vezes da uma vontade loka de chutar o pau da barraca, dar um giro de 180° e recomeçar. mas nao tenho coragem e nem sei por onde começar. por onde começo a concertar minha vida se está tudo errado?
enfim... i don't know!

bjs do voy

Júlio César Vanelis disse...

Gui... Infelizmente, esse é o tipo de coisa pela qual vc ia ter que passar uma hora... Eu, sinceramente, já te admiro demais só por você ter passado todo esse tempo da faculdade sem passar por essa situação... O bom disso tudo é que só e muito ruim assim na primira vez, depois vc olha pra traz e rí, pq se importou com isso tudo a toa... Gui, vc é o cara mais brilhante que eu ja conheci na vida, fracassado é a ultima coisa que vc poderia ser!!!
Sem sombra de dúvida, detodas as pessoas que entram na mesma turma que agente, vc é o que de longe vai mais longe, pq além de brilhante, vc é humilde (é sim cara).

Fica frio que isso vai passar!!!
Um beijo... Saudades de vc!!!
CADÊ o baralho que eu e a Angela ajudamos a pagar, hein??? kkkkk (zuando)

Volto no próximo

Anônimo disse...

Descobri seu blog ao acaso, e gostei. Mais um para acompanhar, meu Deus!
Um cara que não tem medo de expressar suas opiniões, nunca poderia ser um fracassado. Isso vai passar, querido. Força na peruca!
Teve algo que não entendi.Você escreve esse blog e sua mãe não sabe que você é gay?

Abraço,
de seu leitor em Salvador/BA

Paulo Braccini disse...

Gui ... como disseram acima isto é só uma fase dentre outras ... mas como todas as outras tb passa ... o q temos q ter em mente é q o importante mesmo somos nós, nosso ser, nossa forma de ver o mundo e experencia-lo, nossas conquistas ... o resto é simplesmente o resto mesmo ... nem família entra no rol das coisas mais importantes ... algumas e para alguns até pode ser q encontrem este espaço, pois sabem partilhar com a gente tudo o q tem q ser partilhado ... mas família q só participa para sugar ou para rejeitar ... ah! dê um sonoro phoda-se para ela ...
No mais ... relaxa e reaja indo à luta ...
Veja qta coisa boa vc já fez e conquistou ... o caminho para as outras é o mesmo ... acredite

bjux

;-)

Candy disse...

Talvez você só esteja um pouco cansado para reagir. Suas forças devem estar um pouco esgotadas de tanto reagir ao longo da vida. A minha já teve alguns desses altos e baixo quando eu era bem mas novo e principalmente quando minha mãe descobriu que eu sou gay, então andei meio cansado no início desse ano. A final, foram 18 anos de apurrinhação. Depois de ficar em casa, desempregrado e brigando por 3 meses, eu consegui recarregar (contraditoriamente) minhas pilhas e tive forças para continuar... Talvez você precise de um tempo pra você. Pra fazer o que gosta ou simplesmente para não fazer nada. Pra simplesmente conseguir reunir suas forças e ir à luta.

Bjs!

wonderfulcauseiam disse...

Nossa, pensa só querido, se você estivesse na UFMG e chegasse ao 3º período de Farmácia sem capotar em nenhuma matéria você seria colocado num pedestal. Farmácia é um dos cursos mais tensos dentre todos (tenho uma amiga que faz e tá sofrendo muito).
Acho que esse "pequeno" fracasso não é motivo pra você desanimar não. No meu caso não é nem questão de tomar pau em uma matéria, é de pelo menos passar em uma (e isso sempre me faz pensar se escolhi o curso certo... mas enfim. Obs.: Faço Eng. Metalúrgica).
Segue firme e forte aí! Uma pessoa de sucesso como você só tem que se congratular pela vida.

tulioma disse...

ai, que coisa deprê.

DPNN disse...

Depois de ler que você estudou alemão, este será meu último comentário em português...kkk

Borboletas nos Olhos disse...

Marido,
diz pra sua mãe que você não pode arranjar namorada que você é casado, tá? Lembra que sou ciumenta?

Olha, amor, eu não sou do time dos conselhos nem nada, mas eu sou das que acham que viver é uma delícia e morrer um evento que faz parte. De outro jeito, na hora de ficar triste e chorar e dizer palavrão e beber cana porque não dá, não dá, não dá...é só me ligar, tamos aqui pra isso. Na hora Pollyana, tipo tudo é caminho de pedras amarelas rumo a Oz, também tô dentro, vamos celebrar e rir e cantar. E isso, amor, ter gente por perto que sofre e ri com a gente é o que faz valer a pena, o resto é adereço...
Beijos carinhosos

Anônimo disse...

"Quem não sabe ser grande tenta diminuir os outros!" Eric Portenho

Vc está sendo bem-sucedido na vida, é normal(infelizmente) que as pessoas tentem te destruir. E o mais chato é quando esse processo de destruição conta com a ajuda de pessoas que supostamente deveriam nos ajudar(seus familiares), mas a vida é isso. Levante a cabeça e continue lutando e conquistando. Não esmoreça. Se vc baixar a cabeça e fracassar, eles terão ganho a "batalha". Já está bem perto de vc concluir os seus projetos e se ver livre deles. Não desista não! ;)

SG disse...

Nem preciso dizer que também passo pela mesma situação que você...

E nem preciso dizer que sou a última pessoa melhor credenciada a dar qualquer conselho a respeito...

Mas enfim. De todo modo, te desejo muita sorte e força. Sei que você irá superar todas essas dificuldades. Seja lá do jeito que for.

Beijão!

Lobo disse...

É assim mesmo.

A gente aprende a mecanizar as coisas e fazer por fazer. Uma vez que colocamos de lado nossos sentimento e fazemos as coisas porque temos a obrigação de fazer, tudo se torna menos penoso. E acaba sendo feito de qualquer forma, mesmo que de mal gosto.

Afinal, é importante que as coisas sejam feitas não é?

Fracasso é o meu nome. Mas a gente se acostuma. A não ser que você não queria se acostumar. Ai, meu amigo, você tem que correr atrás, esteja de má vontade ou não.

Um beijo Gui!

Autor disse...

Mocinho,
Então, tenho essa síndrome de achar que estou estático, quando tudo está se encaminhando e só eu não vejo.
Tive uma crise braba dessa no oitavo período da faculdade, faltando 3 meses pra me formar e quase tranquei o curso. Maluquice, eu sei, ainda bem que não fiz isso.
Então, se arraste, encontre forças não sei onde, mas siga.
Gosto muito de uma frase: não há felicidade que perdure e tristeza que não acabe. Então, vamos seguir!
E, precisando, vc tem os melhores amigos do mundo pra, pelo menos, te fazer rir.
:-)
Adoro-te!
Bjos mil
(como fui fofo nesse comentário)

Borboletas nos Olhos disse...

Maridão, não tinha tido uma brecha pra vir te dizer..já está lá, obrigada por seu texto viu? Bjs
http://borboletasnosolhos.blogspot.com/2010/11/fim-da-violencia-contra-mulher-dia-4.html

FOXX disse...

querido, espero que vc melhore
estou aqui torcendo para que tudo melhore pra vc ok?

Renato Orlandi disse...

Oooow! Se o problema eh o MSN me add, rsrs, sorry. É uma questão muito delicada, essa falta de motivação, isso de que as vezes tud parece conspirar para dar errado, eu posso dizer que passei por momentos assim, se não estiver vivendo em um agora mesmo, posso entender apressão que é, o desespero que dá, ok, minhas palavras não estão ajudando... Espero que tenha ido bem na prova.... bjooo!

Antonio de Castro disse...

falemos da faculdade, na área de exatas é normal reprovar uma coisa ou outra. claro que não é o que a gte quer, mas não é pra gte se sentir mal por isso. entretanto, vc deve se sentir mal sim, se acha q passaria, mas está desistindo sei lá por qual força ou falta de força.

eu sei como vc se sente, parece td esforço inútil, mas tem tnt coisa inútil no mundo. as vezes é melhor ser alienado e não pensar muito nessas questões. se vc não tem coragem de largar td e ser atleta, desista de pensar. é o que eu faço. claro que eu não quero ser atleta, bom deixar isso claro, p não gerar interpretações erradas.

quanto ao seu currículo, já tinha lido uma vez que vc estudou na Joaquim Venâncio e já tinha ficado de cara com isso. eu tb fiz esse concurso, sei lá 9 vagas, e era a q eu mais queria. eu não passei. =/ só p falar p vc que vc fez eu me sentir um pouquinho mais burro. eu sempre soube que tem mt gte inteligente, mas vc esfregou na minha cara, hein. e já q vc é tão inteligente, não desiste não. isso coisa de burro.

não faz mais isso, q eu quero ter vc como meta! um dia, qd eu nascer d novo eu sou assim, q nem vc e vou poder jogar meu curriculo no blog, enquanto isso...

Borboletas nos Olhos disse...

Olha só onde você foi parar...do outro lado do oceano: http://www.etudogentemorta.com/2010/11/inaceitavel-indesculpavel-intoleravel/
Eu já disse obrigada? Muitas vezes? Bjs

Anônimo disse...

Seu depoimento me comoveu profundamente. Se é que posso dizer alguma coisa, pedindo perdão pela banalidade, é que creio que o fundamental é persistir, encontrar forças seguir. Tenha ânimo.
Raskholnikhov
Ps.: Sei como é ser chamado de viadinho no colégio.

Gui disse...

Só pra agradecer o carinho de vocês mesmo. E dizer que, no final, tudo deu certo.

Obrigado *-*

railer disse...

cara, coisas ruins acontecem pra gente crescer, pra gente evoluir e se superar. você tá indo bem. talvez ainda não veja os resultados de suas conquistas, mas saiba que muitos já estão aí e uma hora você vai perceber.

o importante é seguir em frente, não desistir e acreditar que tudo pode ser melhor.