quinta-feira, 7 de abril de 2011

Meu Algoz

Sabe, eu nunca omiti o principal da história do Eah (você pode ver as coisas em sequência 1-2-3), que foi o fato das coisas terem acontecido ao relento, sem eu saber exatamente do que estava acontecendo. O que eu omiti foi como descobri que isso era verdade, o EDIT do último post.

Na sexta, Eah não pôde sair comigo pro carnaval porque estava doente na casa de um amigo, no sábado, estava esperando a resposta de uma amiga para saber o que faria do carnaval.Fiquei esperando a resposta e quase passei o sábado de carnaval em casa. Sorte que um amigo me ligou e me encontrou na Farme mesmo. Depois encontrei ainda outros amigos. Encontrei com um amigo dele perguntando para mim porque eu não estava na festa X. Ele estava lá. Foi e não me chamou. Nesse momento, caiu a ficha. 

Mais ao longo da noite eu troquei algumas mensagens com ele (sim, estava bêbado) e uma das suas frases mais célebres foi 'as suas expectativas superou as minhas'. Qualquer um que viu como agíamos viu o quanto eu lutava contra essa ideia de relacionamento, de que eu ia namorar. Eu estava só ficando. O que não quer dizer que era uma ficada qualquer. E, houve um momento, aqui no blog, em que eu resolvi que ia deixar levar. Ia parar de matar aquele sentimento que toda vez insistia em nascer, como uma erva daninha. Momento errado, hora errada.

Não sei se ele leu esse blog e pensou que eu já estava louco (é, talvez não tenho sido claro no post? Talvez, também, aquele post não fosse para ser claro) de amor e tal. Óbvio que nesse mesmo sábado eu chorei, me senti melhor no domingo, mas ainda faltava aquilo de resolução, sabe? O 'não' eu já tinha dado, mas não tinha recebido. Nos encontramos mais uma vez, com apenas um período de climão - riam, mas foi exatamente no momento em que nossos dois peguetes deram perdidos simultâneos (eles eram amigos). 

Convidei-o para sair para conversarmos sobre isso, sem colocar tom de "PRECISAMOS CONVERSAR". Uma conversa, um suco, talvez um café. Nem isso foi necessário, percebi que ele estava na defensiva de sair comigo, então, tive que fazer do modo mais chato: msn. Conversamos e, por fim, ouvi o 'não' que queria ouvir. Ouvi o não que eu queria e precisava ouvir. Chega de comparações que jamais seriam admitidas. Chega de ausências que jamais seriam externadas. O que sobrou agora é um sentimento de carinho que pode - e quero - que evolua para uma amizade.

No fim, meu algoz não foi o blog, opiniões de terceiros ou mesmo Eah. Meu algoz foi minha incapacidade de ser sincero comigo mesmo, no momento em que eu deveria. E, também, porque não, ser sincero com ele também?

Meu algoz, eu mesmo, também se mostrou que pode ser meu maior aliado. Meu algoz foi o que me jogou no abismo, sem proteção, mas também me recebeu lá embaixo de mão estendida.

10 comentários:

Paulo Braccini disse...

Na vida a gente aprende é com os erros ...

SG disse...

Bom. Boa sorte, da próxima vez.

inconstanteblog disse...

É como vc mesmo disse: talvez não tenha ficado claro pra ele que era só uma ficada. Pelo blog, tbm tive a impressão que seus sentimentos eram (ou pareciam) maiores do que vc queria dizer.

Mas o que importa é que vc tá bem. Que pode/vai aprender com os seus erros. E se não aprender nesta, sempre aparecem outras chances e erros.

Não conseguimos acertar sempre. E que bom.

Xêro!

Júlio César Vanelis disse...

Fico feliz, muito mesmo, que você tenha passado por isso sem maiores sofrimentos... Claro, não foi fácil, eu vi que não foi fácil pra você... Mas foi válida a experiência, da próxima vez vai ser diferente! E finalmente, fico realmente muito feliz que você tenha virado essa página de uma vez por todas... Agora, meu filho, é partir para outra...

Um beijão, amigo!!! Olha, fique sabendo que você tem sido a minha melhor companhia nesses ultimos meses!
Até o próximo!!!

Cara Comum disse...

Pois é... a gente aprende com os erros a gente se descobre o próprio inimigo, a gente se percebe o melhor aliado... isso é a vida, baby!!! Abraços!

Lobo disse...

Algoz? Não sei... vejo isso como uma simples reação sensata e defensiva... apenas situações, nenhum vilão, nenhum culpado... só alguém meio filho da puta que não teve coragem de jogar as cartas na mesa logo de cara.

Antonio de Castro disse...

isso é vc crescendo, esvaziando.

a gente nem percebe.

perceba.

Fred disse...

Somos sempre nossos próprios algozes... o truque é descobrir isso!!! Hugz!

Candy disse...

Ahhh sem saber o que comentar. =/ A vida gira e vamos aprendendo né. Agora você se conhece melhor e sabe como agir da próxima vez...

Bjs

Euzer Lopes disse...

O final do seu texto, onde fala que seu maior algoz foi seu grande aliado, na minha opinião foi uma das mais felizes frases que eu já li na vida.
Realmente, o grande aliado que nos ampara no fundo do poço.
Dá forças para que a gente siga.
Eu sempre sigo que o fundo do poço é o centro da Terra. E dali, pra qualquer caminho que se siga, mesmo que seja seguir em frente, significa subir.
Um abraço!


www.meioameioblog.blogspot.com