sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Feeling the Emotion

Essa já é a terceira vez que um post que já estava em minha mente vai ficar pra depois em função de alguma coisa mais "urgente".

O fato é que eu tenho me sentido muito emotivo ultimamente. Sabe, eu não sou do tipo de pessoa ultra sensível que chora por qualquer coisa, mas também não banalizo as coisas tristes. Aliás, eu raramente choro de verdade, não que isso seja um problema, só não acontece com muita frequência (aliás, com nenhuma frequência pra dizer a verdade). Expressar tristeza ou dor com o choro é uma das formas mais puras de mostrar seu sentimento.

Mas quando você assiste um clipe da Kelly Clarkson que você nunca tinha visto (pasmem!), Because of You, e você sente vontade de chorar? E quando você assiste um filme, de fato, tocante (e que eu não deixarei escapar no próximo post), e na primeira demonstração de afeto entre o pai desajustado e o filho desajustado também, você sente seu olho ficar úmido?

E quando você descobre que finalmente 33 pessoas que ficaram a 700 metros debaixo da terra foram resgatadas com vida e praticamente sem ferimentos...Bate aquela emoção avassaladora. E você quase, mas quase cai em prantos no meio do jantar na sala.

Acho que estou desenvolvendo uma empatia muito grande, assim, DEMAIS. Sem condição de cada vez que acontecer alguma coisa assim eu ficar com os olhos cheios de lágrima. Se cada vez que eu falar da minha história de vida (bêbado faz isso, tá?) eu ter que ir no banheiro depois lavar o rosto.

Chorar me incomoda. Não porque pareço frágil. Não porque pareço menos. Não porque pareço emo. Muito menos gay (até porque é um grande equívoco achar que todo gay é emotivo e parecido com mulher hetero, que, geralmente, é mais sensível). Mas é porque não gosto de me desfazer na frente de qualquer um.

Não gosto de mostrar que por trás de um cara irônico, esperto, racional, também existe o sentimental. Acho que não combina com minha pessoa.

Bem, esse desabafo...afe, vou no banheiro pegar uns lenços.

5 comentários:

Diego disse...

Mas não tem que combinar. A gente é um somatório de contradições mesmo.

Bruno disse...

normal rs
escuta, menino. Eu não tenho seu tel e o Foxx voltou pra BH hoje de manhã mesmo. Ele falou que estava sem dinheiro e tal...
Bom, eu não lembro seu msn rs (falei que não ia lembrar!!!) então me adicione: bilymanson@hotmail.com

bjoooo

Renato Orlandi disse...

hehee... que fofo! acho mto bom ter uma ponte firme para seus sentimentos, acredite é bem melhor que ser frio e reprimir tudo, pode ser apenas um momento, então aproveita, assiste titanic rs sei lá, chora tudo que está aew guardado, depois passa, comigo é assim...... eu tb choro uma vez na vida e outra na morte, mas qdo estou começando a ficar assim logo dou um jeito de transbordar...... adorei sua forma de escrever, parabéns pelo blog e obrigado pela visita! ^^ bem vindo a blogsville rsrs.... bjuu!

sougay disse...

Também não sou de chorar por qualquer coisa. Mas, quando me dá vontade, desabo.

Acho que a última vez que chorei foi quando assisti o filme "Hachiko", ano passado...

JC disse...

Nossa... Como sempre sem perder o tom ironico né?? rs
Realmente cara, eu acho que nunca te vi choranto (será q isso é bom ?)

Abraços cara