quinta-feira, 7 de outubro de 2010

O Prazer de Sorrir

Essa semana foi pesada. Estudei que nem um corno porque não estudei o período inteiro, tive que voltar pra casa em menos de dois dias, me fudi na prova hoje (ou Deus, de fato, existe e fico acima de 6). Aliás, estou confuso com umas pessoas que tão me rondando e outra que eu bem que queria que rondasse. Mas, isso é outro assunto. O importante é que acabou.

E não, hoje não é um post dissertativo. Hoje não será um post que fará vocês pensarem em política ou em sociedade. Hoje é, simplesmente, um problema pessoal. Hoje, eu não consigo não falar de mim.


O fato é que ontem, depois de 4 anos e 7 meses eu finalmente tirei o aparelho fixo. [pausa para respirar].

4 ANOS e 7 MESES pra tirar esta merda. Nem preciso dizer que odeio o dentista, né?

O que acontece é que eu sempre me achei feio. Tinha os dentes pra fora, usava óculos (desse ainda não me livrei), era magro e baixinho. Aí, coloquei o aparelho. Pronto, o estereótipo do nerd.

E nisso se passaram alguns anos. Na 7ª série eu tinha 1,57 m, (detalhe, meu irmão tinha "só" 1,80 na 7ª série), no terceiro ano eu tinha 1,76 m (como diz uma tia minha, já estava virando homem). Há 4 meses atrás, eu pesava 61 quilos, agora, estou com 68 Kg. No segundo período da faculdade, vieram as lentes de contato. 3 pontos pra mim. Ainda sou magro, mas me disseram que agora eu tenho bochechas.
Minha autoimagem sempre foi negativa. Eu sempre me senti excluído dos grupos sociais. Meu papel, quando estava nesses grupos, era muito claro: fazer os outros rirem. Sempre fui o tipo engraçadinho. Daquele que todo mundo se refere como "muito maneiro, muito legal". Às vezes, até fofo eu sou. Mas eu queria mesmo era ser o gatinho, sabe? Daquele que as meninas todas se perguntam porque Ele não olha pra elas. Eu queria ser Ele, pelo menos uma vez.

Eu odiava o aparelho, além de grudar 20 mil coisas cada vez que eu comia, eu não conseguia passar fio dental direito (nunca consegui usar aquelas coisas especiais pra passar em aparelho), minha língua sempre estava machucada, eventualmente até me dava afta. Era um sofrimento.

Além disso, as pessoas que eu matinha contato e usavam, iam tirando e eu continuava. Nesse árduo trabalho dos dentes de se moverem, eu não sorria. Não aquele sorriso gostoso, aquele chinfrim. Minha mãe tinha me ensinado que quem tem dente feio não deve sorrir. 

Nem preciso dizer o quanto eu invejava às pessoas com dentes perfeitos. O quanto eu queria sorrir nas fotos.

Quando o fdp dentista disse que, finalmente, eu tiraria o aparelho, fiquei naquela expectativa. Será que eu ficaria bonito? Será que eu ficaria estranho? Ficava tentando me imaginar sem aparelho. Morria de medo de ficar mais feio (!). Pensei que se isso acontecesse, ia pedir pra ele colocar de novo até. Divagações à final.

Depois me preocupei com os outros. Será que notariam? Será que elogiaram ou só reparariam?

Não posso dizer que todo mundo reparou, nem que todo mundo elogiou. Mas houve um concenso: eu mudei. Pra melhor. 

UFA!

Hoje tirei o que faltava, mesma apreensão. Mesmo resultado. Até mais positivo.


Mas acho que ainda tenho espírito de gente feia. Gente maomeno (leia-se mais ou menos bem mais ou menos). Não sei, quero me sentir bonito e etc. Quero sorrir nas fotos e ver meu dentes. Eles ainda não estão perfeitos, mas não demorará muito e ficarão, de fato. Mas o que me incomoda é agora. 

Por que eu não consigo achar que eu melhorei? Eu não uso mais óculos praticamente (só nos Laboratórios), tirei o aparelho, hoje eu até colo! Certamente não tenho mais o estereótipo do nerd. Mas eu ainda vivo esse estereótipo talvez. Não fui pra balada depois que tirei o aparelho, tenho até medo...

Esse rebuliço mental tá me incomodando demais. Essa tal da autoestima devia muito dar às caras por aqui.

Eu quero, finalmente, ter o prazer de sorrir. Depois de 19 anos de massacre, eu acho que mereço.

10 comentários:

Paulo disse...

Você falou uma coisa certa... "espírito de gente feia"...

Rapaz, se você não meter na sua cabeça que você é bonito, como quer que os outros te vejam assim??

E calma... aos 18, 19, eu tb me achava péssimo! Magrelo e com barriga de cerveja da faculdade! Nada que o tempo não apague e conserte, hehe...

FOXX disse...

bem, eu não penso nessa chave de q se vc não se achar bonito ninguém vai achar, prefiro pensar q se vc se acha mto magro, q tal uma academia? se vc acha q se veste mal, q tal mudar as roupas? sabe? se vc tem algo que te incomoda em vc, corre lá e "conserta", faz alguma coisa que te faça se sentir bem consigo e gostar de si. Eu por exemplo tenho "espírito de gordo", por isso não me discuido dos exercícios nunca, pq me sinto mal e feio qndo me sinto gordo. o que quero dizer é que nossa auto-estima e mais q isso até, nós nos sentirmos bem é uma responsabilidade nossa, qm tem q correr atrás é a gente mesmo.

Lobo disse...

Eu confesso que no quisito dentes, foram muito legais comigo: só tive que arrancar os quatro cisos inclusos, mas minha arcada sempre foi muito elogiada pelos meus dentistas.

Eu estou com você no quisito espírito de feio. O problema é que nem o legal eu fui muito, eu sempre estava mais pro doido. O doido que todo mundo tem medo. E ainda era baixinho. E eu ainda era mais gordo, o que só piorava as coisas. E lerdo, uma das poucas coisas que faziam as pessoas rirem... de mim, não comigo.

Essas coisas não passam não... pelo menos nunca passaram comigo. Tem esse que de malignidade alheio que fica impregnado nas nossas mentes, nos traumatiza, e depois não larga mais. Pelo menos o meu karma de baixinho e gordinho nunca passaram. Nunca mesmo... de vez em quando tenho que tomar cuidado, porque me pego não querendo nem sair na rua...

Beijos Gui!

David ®... disse...

olha...eu prefiro ser "mais ou menos" pq o Ursinho Pooh é bonitinho, todo mundo gosta dele mas ninguém come!!!!!...rs

E exorcisa esse espírito de gente feia (e pobre).


bjãoo

Mulher Asterísco disse...

É mesmo né? A beleza é só um produto da autoimagem...mas alguem me diz onde é que a gente reprograma esta autoimagem...porque sofro do mesmo mal ...vc pode até tirar a pessoa da feiura mas não tira a feiura da pessoa... A vantagem é que se vc descobrir comofas para se ver bonito, além de bonito, vai ficar rico, dando palestras de auto-ajuda... me aceita como sócia?

sougay disse...

Também não me acho bonito. Há dias em que me sinto péssimo. Mas procuro me ater às minhas qualidades estéticas, e corro atrás para corrigir os defeitos, que todos nós temos e tememos. A magreza eu consegui resolver com seis anos de academia. Os dentes tortos, com três anos de aparelho. As espinhas, com um ano de Roacutan. E agora, me faltam algumas sessões de peeling na face.

Sempre penso: hoje, estou melhor do que ontem, e pior do que amanhã.

JC disse...

Gui... EU NÃO ACREDITO!!! Vc TIROU MSM O APARELHO???? Carak, q legal!!! Amanhã eu vou conferir o resultado xD...
Cara, se desliga dessa pilha (faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço). Vc não tem q provar para si mesmo e para os outros que vc não é um Nerd... Se vc ficar tentando fugir do esteriótipo assim, ele vai ser um fantasma pro resto da sua vida. Suas mudanças são naturais, mas sua personalidade fica, e o esteriótipo só sai quando vc esquece ele... É claro, essas coisas todas de lente de contato, tirar o aparelho, e outras, são muito importantes, eu diria até fundamentais, mas não são a solução definitiva do problema...
Ahh, aproveitando a deixa, em breve vou entrar pro grupo dos que usam lente de contato tbm rsrs...

Um abraço Gui... To MORRENDO de saudade, essa faculdade tem sido uma separadora de amigos... Mas amanhã eu te vejo de sorriso novo :D
Abraços!!

Gui disse...

Olha Mulher Asterísco, já descobri: terapia. Esse é um problema que precisa ser trabalhado lá.

Aos outros: estou trabalhando nisso! até o fim do ano vou entrar na boate me achando o ++!

JC: Também to com saudade de você, mas você que falta comigo :S.

Diego disse...

Acho que a pergunta fundamental é: a que te serve esse olhar sobre si? Porque, se ele está aí, é porque ele tem alguma função.

railer disse...

tirar o aparelho é muito bom. já passei por isso também. hehe