domingo, 3 de outubro de 2010

Sobre as Eleições

Então, hoje foi a primeira vez que fui votar (sic). 

Sim, tenho 19 anos, esqueceram? Tirei meu título com 18 só, com 16 não teve eleição e eu perdi o prazo pra fazer o título de eleitor com 17.

Então, eu não levei cola, né? Nem preciso dizer que mega me enrolei na hora de votar na urna, que achei super chique, porque foi tãaaao rápido, aparecia o candidato rapidinho, fato que meu voto demorou uns 20s? 

O problema é que tinha várias seções vazias e uma única seção com uma fila quilométrica. Eu super fui na seção vazia, que tinha só umas 30 pessoas na minha frente, então fiquei uns 40 minutos na fila. Puto, né?


Então, na porta da escola em que eu fui votar estava um lamaçal. Mas não era lamaçal de lama, mas sim uma mistura de papel de santinho triturado (sabe quando a gente vai aprender a fazer papel reciclado? Então, pensem nisso, mas um pouco pior). Ainda bem (?) que estava chuvendo e eu fui de tênis e calça comprida, porque quem tava passando de chinelo e sandália. Eca.

Sobre o voto em si, acabei votando na Marina, porque, apesar de tudo, ela é uma pessoa bem racional. Acho que mesmo sendo contra (!?) os direitos igualitários, aborto, entre outros ela já comentou que pode fazer plebiscito (nossa, que palavra complicada) e, enfim, acho que com pressão a gente consegue aprovar algumas coisas interessantes. Meu voto original era no Plínio, mas ele simplesmente surtou no último debate. Aí fiquei meio receoso.

Pra governador não teve muita opção, eu ia anular, acabei votando no Gabeira, porque ele vai melhorar muito a zona sul. Sim, só a zona sul. Sim, eu não moro na zona sul. Mas tenho que pensar no futuro, né? Como Sérgio Cabral não fez nada no buraco onde moro aqui em Jacarepaguá até hoje, não dá pra contar pra ele.

O resto foi Chico Alencar, Marcelo Freixo e Temer. Anulei o outro voto pra senador, porque eu já ia anular mesmo. Na hora até ia votar no Lindberg porque ele é bonitinho (mesmo sabendo que ele sucateou Nova Iguaçu), prontofalei. Mas errei o número dele duas vezes aí desisti. Não levar cola não dá.

Mudando parcialmente de assunto, vi várias crianças com os pais indo votar. Me lembrou muito quando eu ia votar 7:00h da manhã (Oi?) com a minha mãe e pedia pra apertar os números.

Quando eu pertubava ela pra ela votar no Garotinho(!), quando ele ainda era do PT, porque eu achava que como ele era Garotinho, ia fazer mais pelas crianças (Oi?).

Bons tempos os da infância. Eles retornam jamais.

Mas vou viver meu momento cidadão por aí.

5 comentários:

sougay disse...

Murphy sempre presente em todos os momentos.

Das 10 seções existentes na Zona Eleitoral em que voto, justamente a minha era a que tinha uma fila enorme...

Marquei no relógio: levei 30 minutos aguardando na fila, e 1 minuto e 30 segundos votando (tempo compreendido entre o momento de entrar na sala, votar, assinar o papel e sair).

tulioma disse...

nossa, uma pena eu estar longe de casa. queria votar na Marina também. :/

Dois Perdidos disse...

No segundo turno vai ser mais rápido, mas vai ter mais lixo no chão, e provavelmente eu vou apanhar dos militantes petistas que tentarem me entregar papel e eu responder meu tradicional "deus me livre"...kkkk

Lobo Cinzento disse...

Até que a minha seção tava tranquila... não fiquei 5 minutos na fila... Agora o que mata é a papelada pelo chão... um desperdício de recursos miserável, e mal dá pra reaproveitar a lambança que eles fazem...

JC disse...

Cara, a parte do papel reciclado foi realmente muito feliz... Quando eu vi aquela lama branca no chão hoje de manhã, realmente me pareceu muito familiar, mas eu não conseguia me lembrar de onde eu lembrava daquilo... Lendo o seu poste eu elmbrei ¬¬
É, esse ano, pra mim, a eleição foi bem tranquila... Não tinha muita fila na minha seção... Eu vitei na Marina tbm, mas eu acabei digitando o 13 antes só para ver na urna a cara do Michel Temer (o vice da Dilma), o qual chamaram de satanista (hauahauahauaah). Confesso que quase cai na tentação de votar na Dilma só por causa disso (Gente, to brincando, ta?)